“A programação enalteceu os artistas da terra, retribuindo o carinho que a gente tem pela Prefeitura”, afirmou Israel Lacerda, vocalista do Chega Mais.

A última noite do Arraiá da Conquista começou já deixando um gostinho de quero mais, no Centro Glauber Rocha. “Organização maravilhosa, com segurança e forró de qualidade. Gostei tanto que vim dois dias e já estou organizando uma caravana de Salvador para vir passar o São João em Conquista no ano que vem”, disse o consultor de empresas Renato Góis, soteropolitano que mora em Conquista há um ano e meio. O forró, nesta sexta (22), foi iniciado pela banda Chega Mais, um grupo de jovens que cantou Trio Nordestino, Gonzagão e Targino Gondim, entre outros forrozeiros. “Pra gente é maravilhoso tocar na nossa cidade. Não tem como mensurar a alegria”, disse o vocalista Israel Lacerda. Para ele, a Secretaria de Cultura tem apoiado os artistas da cidade. “A programação enaltece os artistas da terra, retribuindo o carinho que a gente tem pela Prefeitura”, afirmou.

Cheia de histórias, Amantes do Forró trouxe para o palco a tradição dos antigos tropeiros de Conquista

Curtindo com amigos, o jovem ator Lázaro Viana achou a festa incrível: “tudo maravilhoso. Cantores excelentes, ótima estrutura e de fácil acesso”. Mais incrível foi o show da banda Amantes do Forró. Animada e cheia de histórias pra contar, a banda levou para o palco, através de cantigas, tradições dos antigos tropeiros da região de Conquista, como o pisar pilão e o boi-bumbá. Com 17 anos de estrada, a itabunense Forró do Karoá trouxe na bagagem uma seleção de xotes e baiões pra fazer o conquistense dançar. Músicas consagradas por Flávio José, Marinês e Gilberto Gil, além de composições do grupo fizeram parte do repertório.

Forró do Karoá trouxe na bagagem uma seleção de xotes e baiões

“A Prefeitura está de parabéns por manter as tradições juninas e do forró. Isso é super importante para mantermos a essência, as raízes, enquanto outras praças estão divergindo tanto do que é de fato o São João”, elogiou o cantor da banda, Vidal Andrade.

O sanfoneiro Cainã espantou o frio de vez

As canções derradeiras do Arraiá foram de responsabilidade do cantor e sanfoneiro Cainã e da banda Forró Chegança, que tem a cantora Marlua à frente. Dançando pra espantar o frio até as primeiras horas do dia 23, o conquistense se despediu da festança e ficou o sentimento de “até mais vê”!

Forró Chegança,com a cantora Marlua: encerramento com chave de ouro do Arraiá da Conquista 2018

Quadrilhas encantaram na última noite

Entre as notas da sanfona e o balancear do vestido, encontra-se uma das maiores tradições das festas de São João: a quadrilha. E ela teve uma presença especial no terceiro dia de Arraiá da Conquista, animando e emocionando o público da cidade.

A diversão deste ano ficou por conta da Companhia de Teatro Apodio, que faz parte do programa CEUs – Centros de Artes e Esportes Unificados. Pelo segundo ano consecutivo, eles apresentaram uma quadrilha interativa, em que o público também pode ser protagonista da festa: “Nos sentimos muito honrados em estar participando novamente. O público não é mero espectador: é também ator da nossa apresentação e pode fazer parte de forma como se a quadrilha fosse realmente deles – e é!’’, destacou a líder Gabriela de Souza.

O presidente da quadrilha Luz do Nordeste, Mateus Rodrigues: “A tradição da quadrilha está viva”

Entre os vinte dançarinos que participaram da apresentação, está Bartira, 22 anos. Ela entrou na companhia há cerca de um mês, e só tem elogios para a dinâmica do grupo. “Eu sempre busquei a arte como uma forma de me conhecer melhor. Mesmo com pouco tempo, tem sido uma experiência maravilhosa: evoluí tanto como pessoa quanto como artista. Improvisamos muito e isso é muito legal’’. Já para a outra integrante, Síria Pires, 19 anos, é sempre importante ressaltar a cultura do nordeste. “A gente gosta de ir pra rua, mostrar que a arte não é apenas para um grupo específico, que a arte é para todos. O forró é a nossa cara. Amamos a cultura nordestina. Nós somos nordestinos, então temos que valorizar a prata da casa’’.

A quadrilha teve uma participação especial no terceiro dia do Arraiá da Conquista

A quadrilha Luz Do Nordeste trouxe a emoção da festa para o palco. O grupo surgiu através de um projeto literário do Colégio Euclides Dantas e, neste ano, se apresentou pela primeira vez no Arraiá da Conquista. Eles abordaram a magia do São João, contado a história de um casal que se conhece na noite da festa. Para o presidente Mateus Rodrigues, 20 anos, é sempre uma emoção se apresentar nessa época. “É muito bom mostrar pra Conquista que a tradição da quadrilha está viva. Essa é a melhor época do ano. A Luz do Nordeste é minha segunda família’’.

A quadrilha Luz Do Nordeste trouxe a emoção da festa para o palco

O dançarino e vice-presidente da companhia José Lourenço, 20 anos, destacou o carinho do público pela apresentação. ‘’É muito bom participar de uma quadrilha. A recepção é muita boa, as pessoas gostam muito do nosso trabalho’’. A dançarina Ana Beatriz Santos, 17 anos, se emocionou ao se apresentar pela primeira vez no Glauber Rocha: ‘’Eu comecei como apoio e neste ano surgiu a oportunidade de poder dançar. É um sonho realizado poder mostrar meu talento para o público”.

Bartira e Síria Pires: “Amamos a cultura nordestina”.

Visitantes aplaudiram o “Arraiá”

A terceira noite do Arraiá da Conquista termina com um gosto de satisfação e de expectativa para o próximo ano. A estrutura do evento, a organização e o repertório foram os quesitos mais elogiados pelo público.

O aeroportuário Carlos Alberto: “muitas opções de comida”.

A variedade das comidas típicas foi destaque para o aeroportuário Carlos Alberto, 45 anos. “Muito bom ter várias opções”, destacou o rapaz. A secretária Talita Lopes, 32 anos, também elogiou o espaço oferecido para as bandas regionais. “Eu gosto de bandas que tocam o forró tradicional. Adorei muito. Deu para dançar e se divertir’’. Já a técnica em Nutrição Valesca Lima, 19 anos, concordou: “É muito boa essa valorização com os artistas da terra, me diverti muito”.

Tainara Porazzi: “É uma festa familiar, que lembra aconchego e carinho”

Tainara Porazzi, 23 anos, curtiu o evento por ter um ambiente que reúne muitas pessoas. “É uma festa familiar, que lembra aconchego e carinho”, ressalta ela, que veio acompanhada do namorado, irmão e amigos.

O Major Berlink, da Polícia Militar, ressaltou que, nos três dias de evento, a equipe não constatou ocorrências relevantes. “O balanço é extremamente positivo. Um evento em que a família, crianças e idosos puderam participar sem se preocupar com qualquer situação de perigo. Uma festa de paz, em que a estrutura e a segurança foram muito eficientes para o público”.

O grupo do Corpo de Bombeiros também esteve presente e destacou a civilidade da festa. “Tivemos um número de ocorrências muito pequeno, ocorrências simples e sem gravidade, em que atuamos prontamente. O balanço é positivo e o planejamento deu certo’’, explicou o major Cleber Pacheco.

Nayra, Ana Flávia, Ester e André: quem veio entre amigos, também curtiu o Arraial

A secretária de Cultura, Tina Rocha, aprovou o evento. “A avaliação é muito positiva. No primeiro dia, mesmo com o frio, tivemos por volta de 4.500 pessoas assistindo e participando do evento. No segundo dia, tivemos shows maravilhosos. Isso mostra que vale muito a pena apostar em artistas locais’’, pontuou.