Marcelle Porto Cangussu, de 35 anos, era médica do trabalho e foi a primeira vítima a ser identificada no rompimento da barragem em Brumadinho, no estado de Minas Gerais. Marcelle trabalhava há cinco anos na Vale. A identificação do corpo foi realizada através das impressões digitais. Ela estava em horário de almoço quando a tragédia aconteceu e era a única profissional da área presente no local.

Um dia antes da falha na barragem, a médica comemorava seu aniversário de 35 anos com a família. O rompimento na barragem da mina Córrego do Feijão ocorreu na tarde da última sexta-feira (25). Até agora, foram contabilizados 11 mortos pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. Estão desaparecidos 296 trabalhadores da Vale. Outros 176 foram resgatados com vida – desses, 23 estão hospitalizados.

Marcelle trabalhava na Vale desde 2016 não estava escalada para trabalhar na sexta-feira, mas foi chamada de última hora. A reportagem entrou em contato com o padrasto de Marcelle, Christian Garrido Higuchi, e ele disse que a família está no Instituto Médico Legal (IML), em Belo Horizonte, para resolver as questões burocráticas, e não deu outras informações. Ao menos 9 pessoas morreram em razão da tragédia e 354 pessoas estão desaparecidas, segundo o Corpo de Bombeiros. A Vale, entretanto, divulgou em seu site uma lista com cerca de 413 pessoas com as quais não tinha contato.

Nota de pesar do CRM-PI

O Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI) emitiu uma nota de pesar pela morte da médica Marcelle Porto Cangussu, uma das vítimas da tragédia causada pelo rompimento da barragem em Brumadinho-MG, na última sexta-feira (25). Ela atuava como médica do Trabalho na mineradora Vale e havia completado 35 anos um dia antes do seu falecimento.

“O CRM-PI lamenta profundamente o falecimento da médica Dra. Marcelle Porto Cangussu, CRM-MG 48742, vítima da tragédia causada pelo rompimento da barragem em Brumadinho-MG. A jovem médica, inscrita no CRM-MG no ano de 2009, exercia sua profissão como especialista em Medicina do Trabalho na mineradora Vale. Manifestamos nosso sentimento de pesar à família da Dra. Marcelle e aos colegas médicos do Estado de Minas Gerais, bem como à toda a população atingida pela grande tragédia em Brumadinho”, disse a nota do CRM-PI.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook