O candidato mais votado no 1° turno das eleições 2020, para comandar à Prefeitura de Vitória da Conquista, Zé Raimundo falou durante o programa BATV, da TV Sudoeste, afiliada da TV Bahia, nesta terça-feira (24), sobre a relação com servidores públicos, saúde e educação. Zé Raimundo tem 70 anos, é casado, tem superior completo e declara ao TSE a ocupação de professor de ensino superior.

Ele tem um patrimônio declarado de R$ 2.254.145,38. A vice é Luciana Oliveira, do PT, que tem 39 anos. O candidato recebeu 81.721 votos – o que representa 47,63% dos votos. Confira a íntegra da entrevista com Zé Raimundo:

Por causa da pandemia, a maioria dos alunos está está desde março sem frequentar as aulas e muitos não tiveram acesso ao ensino remoto. Essa situação somada a outros desafios da educação, desafios já existentes, que exigem ações emergenciais, mas também estruturais. Caso você seja eleito, o que o senhor pretende fazer para garantir o avanço na qualidade da educação pública municipal?

“Eu quero dizer a Vitória da Conquista que está correndo um boato, uma Fake News, uma dificuldade, inverdades, mentiras, dizendo que, caso seja eleito, que eu iria fechar o comércio. Isso é um absurdo, fake news é crime e os nossos advogados estão tomando as providências necessárias. Exatamente por isso, nós vamos reunir, se Deus quiser, sendo eleito, nós vamos reunir todas as autoridades sanitárias, os especialistas, os empresários e comerciantes, os educadores, todas as instituições de ensino e especialmente vamos evidentemente nos reunir com todos os educadores, diretores de unidades escolares e a partir daí construir um protocolo para que a gente possa retomar não só as aulas, mas também a economia. Nós queremos que a vida esteja em primeiro lugar, mas nós não somos absolutamente defensores do caos, da desorganização da nossa cidade, da nossa economia, por isso nós vamos tomar essas medidas, observando os protocolos, conversa uma coisa, educadores, porque afinal tantos alunos quantos educadores e as famílias, porque os alunos ao saírem das unidades escolares vão para suas casas né e a partir daí a gente vai evidentemente construindo uma agenda que possa garantir a continuidade, sobretudo das aulas nas séries finais do primeiro grau e outras modalidades também do ensino”.

Como é que o senhor considera os servidores públicos, sem os quais a gente sabe que é impossível administrar? Qual a relação que o senhor pretende ter com eles?

“Sem nenhum auto elogio eu posso garantir a Vitória da Conquista. Vitória da Conquista sabe a forma como os nossos governos, tanto na gestão de Guilherme, como na minha, como nós nos relacionamos com os movimentos sociais, especialmente com os servidores. Muito diálogo e debate, transparência e principalmente um grande sucesso para valorizar o servidor público profissionalmente, materialmente e também, evidentemente, capacitando esses servidores para enfrentar os novos desafios para esse mundão, mas sempre organizando. O papel do poder público é desenvolver e apoiar a economia e cuidar das pessoas”.

O senhor votou a favor da nova previdência estadual. Qual foi o seu critério para dizer sim?

“A nova previdência estadual foi uma imposição do Governo Federal. O que nós fizemos foi depois de um grande debate com todos os servidores e com o nosso governador Rui Costa, nós melhoramos. De todos os estados nordestinos, eu diria do Brasil, foi a melhor reforma da previdência, porque havia imposições das leis federais e nós procuramos adaptá-la, mas garantindo na medida do possível, o máximo do benefício para o servidores. Não vou dizer que tem havido algum tipo de perda em função da reforma federal, não da reforma do governo Rui Costa”.

Muitas mulheres são vítimas de violência, principalmente dentro de casa. Qual é a sua proposta para ampliar assistência para mulheres, fortalecendo a rede, que já existe, mas que ainda precisa de mais serviços, a exemplo de abrigo para as vítimas e seus filhos?

“Eu quero dizer a Vitória da Conquista, aqui nós construímos um debate político entre os nossos partidos, escolhemos uma mulher, Luciana Oliveira, uma militante das causas da mulher, uma militante das causas da juventude, da cultura, para nos ajudar, efetivamente, na gestão, cuidando naturalmente desse tema. Olha, eu tenho, modestamente, uma contribuição já dada a Vitória da Conquista, o Centro de Proteção a Mulher, o Centro de Referência da Mulher, em nome da professora Albertina Vasconcelos foi construído na minha gestão, também nós batalhamos muito para a Deam e agora, recentemente, tem a Ronda Maria da Penha. Mas estamos construindo em Vitória da Conquista um centro integrado com todas as autoridades policiais, o Ministério Público, enfim a gente vai procurar uma grande parceria com os órgãos, realmente que tem a competência para combater a violência de forma mais contundente e da nossa parte é ampliar cada vez mais as políticas públicas na área da proteção a mulher, inclusive com hospital, uma unidade de saúde. Nós estamos trabalhando ainda o conceito, mas nós vamos construir uma voltada para a saúde da mulher, inclusive nos casos também da agressão contra mulher”.

Ante essa demanda, a Secretaria da Mulher seria algo a ser pensado no seu governo, caso o senhor seja eleito?

“Eu acho que o mais importante são as políticas públicas, são os programas, mas eu digo, não está descartada após uma reflexão, debate, um estudo minucioso, a gente trabalhar com essa ideia de uma estrutura mais fortalecida para proteger as mulheres de Vitória da Conquista e da região, porque aqui é uma capital regional, muita coisa se resolve em Vitória da Conquista”.

Qual o principal problema de saúde em Vitória da Conquista?

“O principal problema hoje são os postos fechados, exames que levam, muitas vezes, um ano, um ano e meio e principalmente a falta do cuidado com os servidores públicos. Nós vamos duplicar o número de exames na policlínica, vamos instituir o programa ‘Mais Saúde’ levando equipes de especialistas para a zona rural e para os bairros de Vitória da Conquista e sobretudo nós vamos construir uma grande parceria com o governador Rui Costa para ampliarmos cada vez mais a estrutura do Estado em parceria com a prefeitura de Vitória da Conquista”.

Eleito, então o senhor pretende buscar recursos junto ao governo do Estado para implantar esses postos de saúde?

“Olha, sem dúvida nós já temos uma parceria muito forte com o governador Rui Costa na área da infraestrutura urbana para pavimentação de ruas, para construção de avenidas e sobretudo para fortalecer a saúde, inclusive também em relação ao transporte público e nós vamos modificar, transformar a situação que está aí hoje. Mesmo com notícias que os ônibus estão com as portas caindo, com pneus saltando, uma verdadeira desconsideração, desrespeito para com usuário. Nós vamos mudar a situação em quatro anos, muito menos disso, as nossas medidas começarão, se Deus quiser, a partir do primeiro semestre do próximo ano”. // TV Sudoeste . G1-Bahia.

WhatsApp oficial 77 98838-2781 

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook