Morreu na noite de sexta-feira (5) o cabo da Polícia Militar Derinaldo Cardoso dos Santos, que tentou impedir um assalto a uma loja no centro de Mesquita, na Baixada Fluminense. Ele foi atingido por um tiro na cabeça disparado por um criminoso.

Derinaldo, de 34 anos, trabalhava no 20º Batalhão e chegou a ser levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI) em estado gravíssimo e passou por uma cirurgia de emergência. Ele estava internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) da unidade e não resistiu aos ferimentos. Assista com cautela, imagens fortes:

WhatsApp oficial 77 98838-2781 

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

O cabo Cardoso, que completaria dez anos na corporação no próximo mês, deixa esposa e dois filhos. Outra pessoa que estava na loja chegou a ser baleada na coxa, mas foi medicada e recebeu alta. De acordo com a Polícia Militar, os bandidos fugiram e chegaram a roubar um veículo da prefeitura da cidade, levando os ocupantes reféns.

Polícia apreendeu um revólver calibre 38 que teria sido usado para matar o policial militar — Foto: Reprodução

Mais tarde, eles foram liberados e o carro abandonado pelos criminosos na Avenida Brasil, na altura de Realengo. Um homem foi preso nos arredores da loja e levado para a 54º DP (Belford Roxo). Ainda na noite de sexta, policiais militares receberam a denúncia de que a arma usada no crime estava escondida em uma localidade em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio. No endereço indicado, os agentes encontraram um revólver calibre 38 com numeração raspada e cinco munições.

Identificado, matador estaria sob proteção de traficantes

Foi identificado como Jonathan Santos Targino o homem que assassinou o policial militar Derinaldo Cardoso dos Santos, de 34 anos, ontem (4), durante assalto à loja Casa & Vídeo de Mesquita, Baixada Fluminense. O cabo da PM deixou um filho. Ele é o homem que aparece nas imagens da câmera de segurança do local atirando na cabeça do PM antes de fugir.

Também conhecido como “Jonatha”, ele é oriundo de Vila Kennedy e teria fugido para o local, onde estaria recebendo a proteção de bandidos da localidade. Após balear o policial, Jonathan sequestrou um funcionário da Prefeitura de Mesquita, que foi obrigado a dirigir para o meliante até a Avenida Brasil, em Realengo. Lá, o bandido desembarcou do carro e fugiu para um apartamento do Condomínio Vivendas do IPTU Branco, onde moram seus pais. No local, ele deixou o revólver calibre 38 utilizado no crime.

Policial militar é morto ao tentar evitar assalto em cidade do RJ | Brasil  | Pleno.News