O anúncio feito pelo Governo da Bahia nesta quinta-feira (26) sobre os primeiros casos de covid pela variante Delta no estado ligaram o sinal de alerta de autoridades. Veja o que se sabe até aqui sobre a variante Delta na Bahia, além de mais informações sobre a cepa e como ela tem se comportado no Brasil e pelo mundo.

Quantos casos na Bahia?

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), foram detectados três casos da variante no estado.

Quais os locais do estado onde a cepa foi identificada?

Segundo a Sesab, amostras foram detectadas em pacientes residentes nos municípios de Feira de Santana e Vereda, no extremo sul. Além disso, um tripulante de um navio com bandeira estrangeira também testou positivo para a variante Delta no estado. Neste mesmo navio, um outro tripulante estava contaminado com a variante Beta. A Sesab não informou onde o navio está ancorado, mas afirma que a embarcação estava em isolamento, impossibilitando contactantes.

De onde veio a Delta?

A variante Delta apareceu pela primeira vez na Índia. Ela já foi registrada em mais de 120 países e preocupa o mundo por se tratar de uma cepa altamente transmissível.

WhatsApp oficial 77 98838-2781 

Siga nosso Instagram

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Quais os sintomas de um paciente contaminado com a Delta?

A pessoa contaminada com a variante Delta apresenta sintomas que parecem gripe forte. Dor de cabeça, coriza, dor de garganta e febre são sintomas mais comuns; tosse, perda de olfato e paladar deixam de ser corriqueiros, segundo um estudo do Reino Unido. Ainda assim, os sintomas clássicos ainda precisam ser considerados.

O teste para detectar a variante é o mesmo?

De acordo com pesquisadores brasileiros, os meios diagnósticos são os mesmos. Tanto o RT-PCR, quanto a pesquisa de antígeno. No caso da Bahia, a Sesab anunciou que fará o rastreamento por meio desses dois tipos de testes nas regiões do estado onde foram detectados os casos. Todos os pacientes internados nas UTIs com Covid-19 terão amostras colhidas e sequenciadas para identificação do tipo da variante.

A Delta é mais transmissível?

Sim, a variante Delta é mais transmissível. Segundo Raquel Stucchi, infectologista professora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), no SARS-CoV-2 original, a transmissão era de duas para três pessoas (a cada paciente) enquanto no caso da variante Delta, ela transmite para cinco a oito pessoas. Inclusive em ambientes abertos, o que não acontecia com outras variantes, alertou a infectologista em entrevista à Istoé.

As vacinas estão barrando a Delta?

De acordo com os últimos divulgados em diversas partes do mundo, a variante Delta tem uma tolerância maior à vacinação. Dessa forma, a primeira dose de qualquer vacina confere quase nenhuma proteção contra a Delta. Já a vacinação completa diminui o risco de adoecimento pela variante. Por conta disso, o Governo do Estado propôs o início imediato da terceira dose em todos os municípios que já alcançaram a faixa etária de 18 anos. A medida será pauta da reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) prevista para esta sexta-feira (27), que é uma instância deliberativa do SUS que reúne representantes dos 417 municípios. Também é válido lembrar que o uso de máscara, distanciamento social e higienização são eficazes para bloquear o vírus que causa a Covid-19, e todas as suas variantes.

Casos da Delta no Brasil

Um estudo da Fiocruz divulgado, divulgado nesta quinta (26), apontava que a Delta já havia chegado a 14 estados brasileiros. O estudo divulgado antes da confirmação que a Bahia é agora o 15º estado a registrar a variante. Alagoas, Ceará, Espírito Santo, Goiânia, Maranhão, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins também já registraram casos. No estado do Rio de Janeiro, dez cidades registraram 90% ou mais de ocupação de leitos de terapia intensiva destinados a pacientes com Covid-19. Seis delas estão com 100% preenchidos. As autoridades de saúde do estado confirmam que o aumento de internações se deve à variante Delta. No entanto, especialistas dizem que ainda é difícil prever o impacto da Delta no país, já que a vacinação tem acelerado e que a disseminação da variante pode ser reduzida por conta da dominância da variante Gama. Além disso, o Brasil pretende começar a aplicação da terceira dose em todo território nacional.

A Delta pelo mundo

Pelo menos 129 países já registraram casos de contaminação pela variante. Os dados ainda não permitem afirmar com precisão, mas na maior parte das situações, houve aumento de casos. A proporção e a velocidade variam entre países. No entanto, os estudos apontam que o impacto nas mortes costuma ser muito menor em países com maior percentual de vacinados. Um estudo feito pelo Centro de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) nos Estados Unidos, aponta que dos mais de 7.000 pacientes hospitalizados com covid, 87% não haviam tomado a vacina ou completado o esquema vacinal. // Correio.