O corpo da vendedora Vanessa Rodrigues da Silva, de 31 anos, que desapareceu após ser agredida pelo marido, foi encontrado queimado dentro de um saco de lixo, no final da tarde desta sexta-feira (27), em Novo Planalto, na região noroeste de Goiás. Conforme a família, o corpo estava no quintal da fazenda do marido dela, que é apontado pela polícia como principal suspeito do crime.

A dona de casa Genilva Rodrigues da Silva, irmã da vendedora, contou ao G1 que foi ao local para reconhecer o corpo da irmã, junto com a polícia. Ela disse que conseguiu identificar o celular dela e alguns outros pertences. O delegado Luciano Santos confirmou à reportagem que se trata do corpo da vendedora, mas não deu mais detalhes do caso.

WhatsApp oficial 77 98838-2781 

Siga nosso Instagram

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

“Ele queimou ela e a colocou em dois sacos de lixo. Na porta da fazenda mesmo, no terreiro. A gente até foi lá antes, a polícia também. Vimos esse saco lá, mas nem imaginamos”, contou a irmã da vítima. De acordo com a polícia, o marido da vendedora se tornou o principal suspeito pelo desaparecimento após a mulher pedir socorro a vizinhos quando era agredida por ele, em Porangatu. Vanessa sumiu em 11 de agosto. Cinco dias depois, sem conseguir contato com ela, a família registrou ocorrência.

Vendedora desaparecida em Porangatu, Goiás — Foto: Genilva Rodrigues/Arquivo pessoal

O G1 não conseguiu localizar a defesa do suspeito para que se posicionasse até a última atualização desta reportagem. No mesmo dia em que o boletim foi registrado, o delegado esteve na casa do marido e encontrou arma e munição. Ele foi preso, mas pagou fiança e deixou a delegacia, antes de ter a prisão preventiva autorizada pela Justiça. Desde então, ele segue foragido e é investigado por feminicídio.

Casal estava separado

Em entrevista ao G1, antes de o corpo da vendedora ser encontrado, a irmã dela contou que tentou contato com a desaparecida por ligação e mensagens, mas não conseguiu retorno. “Há 1 ano eles não estão mais juntos e dormem em quartos separados. Ela vende celulares e trabalha de casa, pois ele é muito ciumento e não deixa ela trabalhar fora”, disse a irmã. O delegado conta que os filhos do casal, de 5 e 11 anos, estão com a irmã de Vanessa até que o caso seja resolvido. Segundo ela, o casal estava junto há 15 anos e vivia um relacionamento conturbado.

Perícia em cabelo e sangue

Peritos da Polícia Técnico-Científica (PTC) analisam dois fios de cabelo e sangue achados no porta-malas do carro do marido. O veículo foi apreendido na casa dele. A polícia não divulgou a data exata em que realizou a apreensão do automóvel. A investigação também coletou materiais no carro de Vanessa Rodrigues para ser periciado. Os resultados destas análises não ficaram prontos, segundo o delegado. Os peritos vão descobrir se o cabelo e o sangue encontrado no carro do suspeito é da mulher dele. “Dentro do porta-malas, o lado onde estavam os fios era onde tinha mais sangue”, detalhou o delegado. O suspeito fugiu inicialmente para Novo Planalto, uma cidade bem perto de Porangatu, onde mora um irmão dele. A partir daí, ele seguiu para outro município, provavelmente de Goiás. Agentes da Polícia Civil estiveram na casa do irmão dele em Novo Planalto, que alegou não saber o paradeiro do fugitivo.