A barragem do Assentamento Santa Marta começou a se tornar realidade na manhã desta sexta-feira (8), quando as máquinas da Prefeitura de Vitória da Conquista iniciaram a obra de construção daquela que será a maior barragem dentro do município, com 10 metros de altura, 140 de largura e 980 de bacia hidráulica, com estimativa de armazenar 850 milhões de litros de água (850.000 m2), beneficiando em torno de seis mil moradores da região, com a água para uso agrícola e animal.

O reservatório também vai beneficiar a bacia hidrográfica do rio Verruga, fazendo com que seu curso seja perene. De acordo com o projeto, as águas terão origem no riacho Santa Rita e no córrego da Baixa Grande, que irão receber a limpeza das taboas.

WhatsApp oficial 77 98838-2781 

Siga nosso Instagram

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Participe do nosso Grupo no WhatsApp


“A intenção do governo é exatamente dotar toda esta região do assentamento da antiga fazenda Amaralina, hoje Santa Marta, para, por meio da irrigação, servir a toda esta população. Se tudo correr bem, no final deste ano, início do próximo, já estaremos com essa barragem pronta”, declarou o o secretário municipal de Agricultura, Murilo Mármore. Ele acrescentou que a barragem é parte do programa Vamos Produzir, da Semagri.”Um projeto ambicioso, complexo e que será sem sombra de dúvidas, um divisor de águas na zona rural de Conquista”, afirmou Murilo.

O secretário lembrou que o Governo Municipal tem demonstrado sua preocupação com a questão da água na zona rural e na localidade, por exemplo, abriu cerca de 150 tanques este ano. Murilo agradeceu aos moradores proprietários dos oito lotes que ficam às margens da área a ser ocupada, que assinaram o termo de permissão de uso, “que demonstraram um sentimento de solidariedade”.

Para o vice-presidente da Associação dos Lavradores do Santa Marta, Manoel de Jesus, a barragem é a melhor notícia que os moradores poderiam receber. “Está no começo, mas eu já acho uma beleza porque nós nunca tivemos uma obra do jeito desta daqui. Nós aqui estamos sem poder trabalhar porque não tem água. Vendo essa barragem aqui, isto vai favorecer muito para nós e para Conquista, porque tudo que nós fazemos aqui, nós levamos para Conquista”. // Secom-PMVC.