dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

:: ‘Educação’

Conquista: Comunidade do Vila Elisa recebe creche e escola na próxima terça-feira

Terça-feira (29) será um dia de festa para os moradores do bairro Vila Elisa. A Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista vai inaugurar duas unidades escolares: o Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) José Capitulino Teles* e a Escola Municipal Professora Neuza Vieira Silva*. A solenidade ocorrerá às 17h, na Avenida N, quadra 26.

O CMEI beneficiará cerca de 180 crianças, entre 2 e 5 anos de idade. Para construir o equipamento, foram destinados pelo Ministério das Cidades mais de R$ 1,7 milhão. A estrutura segue o padrão do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (FNDE), com salas de aula e de professores, sanitários, cozinha, copa, depósito, dispensa, solário, lactário e lavanderia. Já a escola, funcionará nos turnos matutino e vespertino e terá seis salas de aula, sala de professores, sanitários, cozinha e pátio coberto. O investimento, também do Ministério das Cidades, foi superior a R$ 1,3 milhão.

Homenagens

O CMEI homenageará José Capitulino Teles. Natural de Laranjeiras (Sergipe), José Capitulino se mudou para Conquista, ainda jovem, em razão do casamento com Ede Martins de Souza Teles, com quem teve 19 filhos. Pecuarista, José Capitulino foi um comerciante de projeção em Conquista. Ele exerceu os cargos de delegado regional e auxiliar administrativo no Instituto de Educação Euclides Dantas (Escola Normal), onde se aposentou. Ele faleceu em 23 de janeiro de 1979, aos 70 anos.

Já a escola homenageia a conquistense Neuza Vieira Silva. Formada em Letras, pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), começou a carreira como educadora física. Por quase 40 anos, foi professora de diversas escolas da rede pública da cidade, como o Abdias Menezes e a Escola Normal. Além disso, coordenou e foi vice-diretora da Escola Cavaleiro do Oriente. Neuza também deu aulas de ginástica aeróbica em academias da cidade e fundou a extinta ala feminina Filhas de Ruth na Maçonaria Cavaleiros do Oriente e o Centro Espírita Marcelo David. Amada por todos pela sua bondade, professora Neuza teve quatro filhos.

WhatsApp oficial 7798838-2781 

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Inep estima que Enem custará R$ 105,52 por participante

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 deverá custar aproximadamente R$ 537,7 milhões, esse montante dividido pelos mais de cinco milhões de inscritos nesta edição, equivale a R$ 105,52 por cada participante.

A expectativa é que os gastos fiquem um pouco mais abaixo do que no ano passado que teve um custo de R$ 106,13 por inscrito, segundo o instituto. Esses valores correspondem a gastos que vão desde a elaboração até a impressão, distribuição e correção da avaliação. Dos R$ 537,7 milhões, segundo a autarquia, R$ 179,7 milhões, o equivalente a cerca de um terço do valor total, vem do pagamento das inscrições, a outra parte é paga pelo governo.

Este ano, a taxa de inscrição do Enem foi de R$ 85. Cerca de 2,1 milhões de pessoas pagaram a taxa, os demais atenderam aos critérios de isenção e conseguiram o benefício.

WhatsApp oficial 7798838-2781

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Conquista: Alunos do colégio Padre Palmeira fazem documentário após escola completar 30 anos de atividades

Nesse ano de 2019, o Colégio Padre Palmeira completa 30 anos de atividades estudantis e, em comemoração, os alunos fazem homenagem.
Uma dessas homenagens foi feita pelos alunos do 2°A do Ensino Médio do turno matutino, em forma de documentário. O documentário retrata a história do colégio com o depoimento de diversos (ex)funcionários e alunos. A seguir, o depoimento da professora Meiriva de Oliveira Quaresma, que lecionou por 28 anos no colégio:
“No início, o muro da escola era baixo e havia muitos funcionários voluntários. A segurança era precária e muitas pessoas que não eram alunos entravam na escola”.
A comemoração nao terá um dia específico, mas acontecerá durante todo o ano letivo.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

:: LEIA MAIS »

Prefeitura divulga início do cursinho Pré-Vestibular Quilombola 2019

Será realizada na próxima sexta-feira (07), às 19h30, a aula inaugural do Pré-Vestibular Quilombola. Criado e mantido pela Prefeitura Municipal por meio da Coordenação de Promoção da Igualdade Racial, o cursinho atende concluintes do ensino médio de comunidades quilombolas, estudantes de baixa renda ou oriundos de escola pública do município.  Em 2018, 21 alunos foram aprovados em instituições públicas e privadas. Para a coordenadora municipal de Igualdade Racial, Olinda Pereira, as expectativas para 2019 são positivas, já que o Pré-Vestibular Quilombola é uma importante ferramenta para o ingresso de jovens quilombolas e de baixa renda no Ensino Superior. “Tivemos muitas aprovações em 2018 e pretendemos aumentar o número este ano, com a ajuda de professores voluntários comprometidos e capacitados e oferta de outras formas de suporte para esses alunos”, completou Olinda. Funcionando em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e com o Conselho das Associações Quilombolas do Território do Sudoeste da Bahia, o cursinho conta com duas turmas. As aulas do matutino e noturno são realizadas no 1º andar do Mercado Municipal Bairro Brasil, localizado na Avenida Brumado S/N, bairro Brasil.

MEC quer trazer recursos para universidade com parcerias privadas

O Ministério da Educação elabora um plano de parcerias entre universidades e empresas para ser discutido com reitores em 20 dias, segundo o secretário de ensino superior, Arnaldo Lima. A ideia é que a pasta tome a dianteira na aproximação entre a pesquisa feita no que Lima caracteriza como universidades com espírito empreendedor e as necessidades do mercado. Entre os objetivos, segundo Lima, está permitir que as parcerias possam servir como uma nova fonte de recursos para as faculdades. Ainda sem oferecer detalhes sobre o plano, Lima disse que a pasta quer premiar as escolas com bom desempenho. Também defende maior internacionalização das universidades brasileiras. “Queremos mensurar externalidades positivas e premiar casos de sucesso.” O governo Bolsonaro anunciou em abril cortes no orçamento das universidades federais e bolsas de pesquisa foram congeladas. Lima disse que o contingenciamento era necessário por uma questão de responsabilidade fiscal e disse que educação segue como prioridade do governo. Também afirmou ver com otimismo a possibilidade de os recursos serem liberados no segundo semestre, após uma eventual aprovação da reforma da Previdência. Ele disse esperar que sejam direcionados para a educação recursos devolvidos pela Petrobras em acordo firmado pela Operação Lava Jato com autoridades dos Estados Unidos. “O contingenciamento de curto prazo é por entendermos a importância da responsabilidade fiscal. Ela não é um fim em si mesmo. Queremos, com ela, atrair mais recursos para inovação.” Universidades apontam que, caso o corte seja mantido do modo como anunciado, não terão recursos para suas atividades até o final do ano. Associações de empresas que investem em inovação ouvidas pela reportagem apontaram receio de que os cortes no orçamento das universidades leve o país a perder a corrida da inovação e ficar para trás na competição global.  Lima disse avaliar o nível de colaboração entre universidades e empresas ainda incipiente no Brasil. Ele afirma que as inovações e as pesquisas deveriam trazer mais benefícios para as universidades do que para os professores e alunos responsáveis pela pesquisa. Sobre dados do INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) que indicam que as universidades federais são as maiores depositantes de patente no Brasil, ele disse acreditar que ter grande volume de produção não é o suficiente. “Não é questão de quantidade, é questão de qualidade. Precisamos fazer as inovações chegarem às empresas para que o retorno chegue às universidades”. Fonte: Folhapress.

Realizado o 1º Seminário das Companhias Independentes de Policiamento Especializado (CIPEs)

Foi realizado na sexta-feira (17), no auditório da UFBA, Campus Vitória da Conquista, o 1º Seminário das Companhias Independentes de Policiamento Especializado (CIPEs). O evento, segundo a CIPE Sudoeste, “teve como objetivo fortalecer a doutrina das CIPEs, promovendo a padronização dos procedimentos técnicos, táticos e operacionais das atividades de Policiamento Especializado, além de fomentar a criação de um Protocolo Operacional Padrão para todas as Especializadas que auxilie no fortalecimento dos ritos institucionais”.

O Seminário apresentou palestras ministradas por Oficiais da Policia Militar da Bahia (PM-BA) sobre diversos temas, como: “A Evolução do Emprego de Explosivos em Ocorrências Policiais”; “O emprego das CIPEs a partir das Operações de Inteligência”; “Proposta de reformulação de uniformes das CIPEs”; “Tecnologia operativa adaptada ao ambiente”; “Padronização de ações e doutrina das CIPEs”; “Nivelamento e Capacitação do Apoio Aéreo nas Operações das CIPEs”.

O evento, promovido pelos Comandos Geral da PM-BA, de Operações de PMs e de Policiamento Especializado, além da CIPE Sudoeste, contou com a presença de mais de 100 policiais militares pertencentes às CIPEs Litoral Norte, Chapada, Pólo Industrial, Nordeste, Cerrado, Cacaueira, Mata Atlântica, Semiárido, Central, Sudoeste e Caatinga, e também com apoio do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) e do Grupo de Radiopatrulha Aérea (GRAER).

 

Enem já tem 5 milhões de inscritos

Cinco milhões de estudantes se inscreveram no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de acordo como Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), até as 11h40 de desta quinta-feira (16). As inscrições terminam na sexta (17), às 23h59, no horário de Brasília, e devem ser ser feitas pela internet, na Página do Participante. Uma dica, de acordo com o Inep, é não deixar para se inscrever em cima da hora, pois são comuns os picos de acesso ao sistema de inscrição nos últimos minutos. O exame custa R$ 85 neste ano. O pagamento deve ser feito até o dia 23 de maio. De acordo com o Inep, do total de inscritos até o momento, 53% tiveram a isenção aprovada. Para receber a isenção, os participantes que atendiam aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Educação (MEC) tiveram que solicitar o não pagamento. Para participar do exame, esses candidatos devem também fazer a inscrição até amanhã.

Inscrições pelo celular 

Neste ano, os participantes estão usando mais o celular e o tablet para fazer a inscrição no Enem. De acordo com o Inep, até ontem (15), cerca de 60% dos candidatos haviam feito a inscrição por esse meio. Em 2018, apenas 30% do total de inscritos usaram as plataformas móveis.

Enem 2019

O Enem será aplicado nos dias 3 e 10 de novembro. No primeiro dia de prova, os participantes responderão a questões de linguagens e ciências humanas e farão a prova de redação. Para isso, terão 5 horas e 30 minutos. No segundo dia, os estudantes terão 5 horas para resolver as provas de ciências da natureza e matemática. Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados no Portal do Inep e no aplicativo oficial do Enem até o dia 13 de novembro. O resultado será divulgado em data a ser divulgada  do Enem podem sposteriormente.As notas seram usadas para ingressar em instituição pública pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para obter bolsas de estudo em instituições particulares de ensino superior pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Fonte: Agência Brasil.

Absurdo: Alunos da zona rural de Anagé estão indo para a escola de cavalo por falta de transporte escolar

Na manhã dessa terça-feira (15), o blog do Ricardo Nolasco recebeu imagens do descaso que está acontecendo no povoado do riachão zona rural de Anagé Região do Sudoeste Baiano. De acordo com pais de alunos,  os filhos estão indo para a escola de cavalo por falta de transporte escolar. Segundo informações dos pais dos  pequenos, os motoristas de ônibus não estão carregando os alunos por falta de pagamento dos salários atrasados por parte da Prefeitura do município. E por conta disso os alunos estão tendo que deslocar de moto ou de cavalo para a escola.

Anagé: “Denúncia” alunos estão duas semanas sem transporte Escolar, Pais de alunos Bota a Boca no Trombone

Em várias regiões da Zona Rural de Anagé , professores estão dando aula para pouquíssimos alunos, devido à falta de transporte escolar. Desde o retorno do recesso de final de ano, pais vem se queixando do não cumprimento com o transporte garantido por lei para os alunos.
Escola Municipal São Sebastião na região do Olho d’Água do Vital , Zona Rural de Anagé
As mães estão revoltas, os alunos estão sem transporte a quase duas semanas, o pior que essa semana é semana de provas e sem transporte impossível os alunos irem.
Para a aula sem transporte e os pais já não sabe mais o que fazer para seus filhos terminarem o ano. :: LEIA MAIS »

Educação pública de qualidade custaria até 5 vezes mais, diz estudo

O Brasil deveria investir até cinco vezes mais do que gasta hoje para garantir uma educação pública de qualidade da creche ao ensino médio, segundo estudo lançado ontem (5) pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação. O cálculo do Custo Aluno-Qualidade inicial (CAQi) leva em consideração os custos necessários para a formação e valorização dos professores, despesas com água, luz e telefone, além de aquisição de materiais em geral, como equipamentos para esportes, brincadeira e música, aparelhos e utensílios para cozinha, coleções e materiais bibliográficos, entre outros.

A maior diferença está no investimento necessário para garantir creches em período integral. Segundo cálculos do estudo, seriam necessários R$ 21.280,12 anuais por aluno para custear a oferta em área urbana. Hoje, são pagos R$ 3.921,67 por meio do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). No total, considerando ainda na conta elementos como transporte escolar, que não estão incluídos no que é pago pelo Fundeb, seriam necessários, de acordo com a Campanha, R$ 23.579,62 por ano por aluno para essas creches.

No ensino fundamental, nas diversas modalidades, o valor deveria pelo menos dobrar para a oferta de qualidade na cidade e quase triplicar no campo. No ensino médio, o valor atual precisaria aumentar em pelo menos 50%. A educação especial inclusiva passaria dos atuais R$ 7.240,02 pagos pelo Fundeb para R$ 19.167,47 anuais por estudante e a Educação de Jovens e Adultos (EJA) ensino fundamental, de R$ 2.413,34 para R$ 8.366,17.

“É importante termos um CAQi porque ele é um mecanismo de justiça federativa nacional. Ele coloca uma linha abaixo da qual não há qualidade na educação. Esse dispositivo é essencial em uma federação, especialmente em um país tão extenso e com tamanhas desigualdades regionais”, diz a coordenadora de políticas educacionais da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Andressa Pellanda.

Investimento é lei
A implementação do CAQi está prevista no Plano Nacional de Educação (PNE), lei sancionada em 2014, que estabelece metas e estratégias para serem cumpridas da educação infantil a pós-graduação no Brasil até 2024. Pelo PNE, o CAQi deveria ter sido implantado com dois anos de vigência da lei, ou seja, em 2016. O PNE prevê ainda que o CAQi seja progressivamente ajustado até a implementação do chamado Custo Aluno-Qualidade (CAQ). O CAQ deveria ter sido definido até meados do ano passado, no terceiro ano de vigência da lei. “O CAQ se faz importante para que o financiamento e o parâmetro de qualidade não se atenham ao mínimo, mas possam avançar. Em termos práticos e como prevê o plano, é preciso um esforço escalonado, de financiamento progressivo para a área”, explica Andressa.

A Campanha Nacional pelo Direito à Educação elaborou também uma proposta para o CAQ. Nela, os valores para todas as etapas de ensino em todas as modalidades quase duplicariam em relação ao Fundeb. Mais cara, a creche em tempo integral chegaria a um custo anual por aluno de R$ 39.210,61. Leia mais AQUI.