Homem foi denunciado pelos próprios participantes do grupo. Atitude resulta em processo e prisão pode chegar a cinco anos.

Um homem de 31 anos foi preso em Formiga, na região Centro-Oeste de Minas Gerais, após avisar em um grupo de WhatsApp que a Policia Militar realizava uma “blitz” na avenida Magalhães Pinto. O caso ocorreu na noite de domingo (29). “Blitz em frente à Copasa indo para exposição. Galera do golo fica veiaco. E é blitz das braba. Parando até as ambulâncias do Samu (sic)”, disse ele nas mensagens enviadas às 21h. Os próprios participantes do grupo de populares de Formiga não gostaram das mensagens e disseram que a polícia estava certa em tentar combater motoristas irregulares.

De acordo com a Polícia Militar, o homem começou a criticar o trabalho da Polícia Militar, posicionando-se contra a “blitz”. Após denúncias dos próprios participantes do grupo, policiais conseguiram identificar o homem, que foi preso em flagrante. Ele vai responder por “atentado contra a segurança de serviço ou utilidade pública”. De acordo com o Código Penal, a pena para o crime é prisão de um a cinco anos ou pagamento de multa.  “Divulgar uma blitz passa a ser crime no momento que interpreta-se que sua divulgação tem o objetivo de permitir que pessoas escapem dela”, de acordo com nota da PM. A PM informou ainda que divulgar local de “blitz” “estimula pessoas a sentirem-se confiantes para dirigir após beber. Além disso, causa prejuízo para os cofres públicos, que mobilizam operações do tipo, mas possuem sua ação prejudicada pelos avisos prévios”.